sexta-feira, 10 de outubro de 2008

À América

Pobre Svidrigáilov, provavelmente o mais infeliz de Crime e Castigo, onde a tristeza sobeja. Teve dinheiro, teve mulheres, teve quem o amasse... e nada o fez feliz.
Torpe, trapaceou, dissimulou, manipulou e extorquiu. Ao fim, foi apenas melancólico e generoso.
Hoje estou tristonho, pelo pobre Svidrigáilov...
Postar um comentário